Vamos falar de precificação?

colteneadm




A Odontologia brasileira apresenta um grande paradoxo. Por um lado, temos ilhas de tecnologia e prosperidade que representam a essência da qualidade da nossa técnica associada a gestão necessária para esta responsabilidade que geram resultados fantásticos para pacientes e profissionais.

 

Por outro lado, a grande maioria dos profissionais de Odontologia ainda montam seus preços perguntando a amigos e comparando com a concorrência sem fazer um estudo inicial interno de viabilidade econômica. Desta forma, temos um preço e tentamos montar o custo. Entretanto entendemos que o correto é encontrarmos o custo, para determinarmos o preço. Sendo assim, por onde começar?

 

O Cirurgião-Dentista precisa ter vontade. Controle de custos particulares e profissionais é o primeiro passo. No início é chato e dá um pouco de trabalho, mas com o tempo, a previsibilidade mostra seu lado positivo e conhecer seus limites atuais é o primeiro passo na busca do seu sonho futuro. O custo particular, aquele que proporciona a sobrevivência de você e sua família, é o primeiro item do custo do consultório. Lembre-se que sem você, a clínica não roda.

 

Dentro dos outros custos do consultório, gostaria de chamar a atenção para o custo da Dental. Muita gente acredita que material de consumo é um dos vilões do custeio profissional, mas dados mostram que uma clínica equilibrada investe de 6 a 8% do faturamento bruto neste segmento. Ou seja, material não é o caro, mas sim o nosso tempo. O material de boa qualidade nos ajuda a produzir mais rápido com menos retrabalho, ou seja, diminui nossos custos.

 

Após ter todos os meus custos somados, devo descobrir quantas horas tenho disponível para a minha produção clínica. Ao dividir meu custo total pela quantidade de horas tenho um primeiro número importante que seria o meu faturamento mínimo por hora trabalhada, desde que eu tenha a minha agenda completamente tomada. Por este motivo é que chamamos de faturamento mínimo. Faltas de pacientes, horários vagos, inadimplências, férias e outros custos podem aumentar o preço da sua hora.

 

Assim, é importantíssimo que o profissional de Odontologia se apoie em gestão para suas tomadas de decisão. Somos uma profissão espetacular, com excelente visão de futuro e devemos trabalhar para a manter assim desta forma. Existem várias atividades presencias e online. Escolha a sua e conheça melhor o seu negócio.

 

Grande abraço,

Dr. Marcelo Alves